Como contratar um redator freelancer sem se arrepender
Featured Snippets
Exemplos e boas práticas de snippets: como atingir a posição zero do Google
28/06/2018
Gestão de conteúdo em startups
Como fazer a gestão de conteúdo para startups
06/08/2018

Como contratar um redator freelancer de alta qualidade em 7 dicas

Como contratar um redator freelancer de qualidade, sem erro e sem arrependimento?

Não são poucas empresas e blogueiros em busca dessa resposta.

Afinal, oferecer conteúdo relevante é a chave para atrair a audiência e conquistar acessos qualificados.

Ao mesmo tempo, produzir e-books é estratégia obrigatória para capturar leads e inseri-los no seu funil de vendas.

O problema é que não basta contratar por contratar, sem planejamento e critérios.

Acredite: muito mais fácil do que investir alto é gastar mal.

É para livrar você dessa cilada que construímos este artigo, trazendo tudo o que você precisa saber para ter um bom produtor de conteúdo ao lado da sua estratégia.

Como contratar um redator freelancer

Como contratar um redator freelancer: 7 dicas

Antes de saber como contratar um redator freelancer, você está convidado a fazer uma rápida reflexão.

Digamos que o seu orçamento seja de R$ 500 por mês para produção de conteúdo para blogs, dentro de uma estratégia de marketing.

O que oferece melhores resultados: contratar 10 artigos que futuramente vão se posicionar nas segunda e terceira páginas do Google, ou apenas um texto, o qual vai fincar bandeira no top 3 do buscador?

A quantidade e frequência de publicações é certamente um diferencial para o sucesso de um blog, mas não se engane.

Um único artigo, em alta qualidade e otimizado com as melhores técnicas de SEO (Search Engine Optimization) é capaz de gerar muito mais tráfego orgânico do que outros dez textos apenas medianos.

É justamente como medianos que podemos classificar os resultados de um conteúdo que não está entre os 10 primeiros apresentados como resultados de pesquisa pelo Google.

Então, antes de pensar em contratar um redator freelancer para ser coadjuvante, tenha em mente as dicas a seguir para se tornar protagonista.

1. Habilidade de escrita

A habilidade de escrita vai além da correção ortográfica e gramatical.

Um bom texto tem que ter fluidez, ser agradável de ler e, no caso de um blog, ser tão informal quanto possível.

Não veja como uma resenha literária ou trabalho científico: é um bate-papo com o leitor, que precisa se identificar com o que lê para seguir por uma linha a mais.

Você pode identificar se o redator adota uma linguagem correta e adequada ao observar trabalhos anteriores dele.

Caso ele não tenha ou não possa mostrar seus textos (o que é próprio da atividade de ghostwriter), verifique se possui um blog próprio.

Não solicite um texto gratuito como teste.

Se for do interesse do redator, essa sugestão deve partir dele.

2. Absoluto domínio do SEO

Atenção à formação e especialização do redator freelancer.

Ele não precisa ter um extenso currículo acadêmico para produzir conteúdo de qualidade, mas seu conhecimento em SEO não pode se limitar a certificações gratuitas de duas horas/aula.

Ninguém domina as técnicas necessárias para levar um texto ao topo do Google em tão pouco tempo.

SEO não é complicado, mas exige dedicação do redator.

Então, analise textos de sua autoria para verificar que atenção ele dá às melhores práticas de otimização de artigos.

Como requisito mínimo, a palavra-chave tem que estar presente no título, no primeiro subtítulo (chamado de H2) e na frase inicial do texto.

Se não encontrar, seu redator não domina o SEO. Simples assim.

3. Facilidade de escrever para personas

Todo negócio digital possui um público-alvo.

Mais do que isso: ele tem diferentes personas, o que corresponde à representação de um perfil ideal de cliente.

Isso significa que o leitor que chega ao seu blog e acompanha seus artigos deve ser o mesmo que se interessa pelas soluções que oferece, sejam produtos ou serviços.

Isso impacta na escolha das palavras-chave, na construção da pauta e na adoção da linguagem e tom de voz adequados a esse leitor.

Conforme o assunto do blog, o redator precisa saber escrever para homens e mulheres, jovens e idosos, pessoas de diferentes faixas de renda, hábitos e interesses.

Ao transpor as suas ideias para o papel, se ele dar o mesmo tratamento para todos os textos, os objetivos traçados para o seu blog ficarão mais distantes.

4. Capacidade de produzir textos que convertem

Você certamente não deseja contratar textos para simplesmente preencher espaço em um blog.

Cada artigo é construído com um objetivo.

Pode ser conduzir o leitor a uma venda, incentivá-lo a baixar um material rico, como e-book ou infográfico, assinar sua newsletter, gerar leads ou qualificá-los para que se aproximem da decisão de compra.

Seja qual ele for, a realização de um objetivo é chamada de conversão.

O desafio do redator freelancer, então, é pegar o leitor pela mão e conduzi-lo de forma persuasiva, convencendo-o da necessidade de realizar a ação que você programou para ele.

Novamente, o seu compromisso como contratante é observar textos anteriores para identificar se ele é capaz de escrever com objetivos de conversão.

5. Comprometimento com o projeto

Idealmente, o produtor de conteúdo contratado deve ser como um parceiro.

Ele será remunerado pelo seu trabalho, é claro, mas seu interesse pelos resultados é um importante diferencial.

Cumprir prazos e atender às especificidades do projeto é o mínimo.

Um redator parceiro ainda participa ativamente, contribui com sugestões, se mostra aberto à troca de ideias e vibra com os resultados.

Chegar ao topo do Google é como uma medalha.

Afinal, o sucesso do cliente é também o seu.

6. Profundidade da pesquisa

Segundo a mais recente edição da pesquisa Content Trends, da Rock Content, 73% das empresas no Brasil têm uma estratégia de marketing de conteúdo, enquanto 61,8% daquelas que não adotam pretendem adotar.

Sabe o que isso significa? Altíssima competitividade.

Tem muita gente disputando destaque no Google para determinadas palavras-chave.

Então, como espera ganhar delas se oferece mais do mesmo em seus artigos?

Está mais do que clara a necessidade de apresentar um conteúdo mais denso, completo e diferenciado.

Isso depende muito do esforço do redator, que deve ter recursos avançados de pesquisa, buscar informações em fontes variadas, nacionais e estrangeiras, reunir dados estatísticos confiáveis e atualizados e até contribuições dos principais autores sobre o tema que escreve.

Se o produtor de conteúdo se mostra limitado, parta para o próximo.

7. Formas de contratação e pagamento

Por fim, vamos falar de um aspecto importante, embora não relacionado com a qualidade do conteúdo em si.

Há como contratar um redator freelancer por plataformas.

A vantagem é a segurança (você só confirma o pagamento no aceite do conteúdo), enquanto a desvantagem está nas taxas extras aplicáveis.

Nesses ambientes, você pode pagar até no cartão de crédito, caso deseje.

No entanto, sendo uma demanda recorrente, você provavelmente precisará que o redator forneça nota fiscal, o que é fundamental para a contabilidade de empresas.

Isso demanda a contratação direta, sem intermediários, além de exigir que o profissional tenha um CNPJ ativo.

Se você tem dúvidas quanto ao melhor formato para contar com os serviços de um freelancer, o próximo tópico vai ajudar.

Regime de contratação freelancer

A contratação de um profissional, seja qual for o regime adotado, exige precauções.

Você pode firmar um contrato de trabalho tradicional e estabelecer critérios para a atuação home-office do redator, o que na recente Reforma Trabalhista passou a ser chamado de trabalho remoto.

Na prática, ele se transforma em um empregado como qualquer outro, tendo registro em carteira, salário e benefícios, como férias e 13º salário.

Não costuma ser essa a escolha da maioria das empresas, ainda que a estratégia do blog exija a produção recorrente de artigos.

A razão para isso está no custo, muito superior ao estabelecido a partir de um contrato de prestação de serviços.

Nessa modalidade, no entanto, você limita a sua busca a candidatos pessoa jurídica, com empresa estabelecida e CNPJ próprio.

São mais empreendedores do que freelancers.

Essa contratação exige um contrato formal, assinado por ambas as partes e registrado em cartório.

O redator não precisa estar geograficamente próximo, pois pode reconhecer firma na própria cidade e, depois, enviar cópia do contrato por via postal.

Só é preciso que entrem em acordo quanto às regras, especificando principalmente os valores e os serviços realizados, além da duração do contrato e de condições para o seu cancelamento.

Ainda que a sua demanda de artigos seja pequena, tenha muito cuidado com a contratação informal.

Nesses casos, o melhor mesmo é fazer a partir de plataformas.

Caso contrário, cria-se um dilema: o redator com receio de entregar os artigos e não ser pago e o contratante que teme pagar e não receber os textos.

Iniciar uma parceria em meio a um clima de desconfiança nunca é positivo.

Onde encontrar um redator freelancer?

Uma das melhores maneiras de encontrar um redator freelancer com a qualidade desejada se dá a partir de referências.

Mas nem sempre temos sucesso nas indicações, não é mesmo?

É por isso que você precisa conhecer plataformas online que o conectam a produtores de conteúdo.

Vamos falar sobre as suas características, prós e contras.

99Freelas

Ponto forte: permite direcionar seu projeto conforme o nível de especialização do redator – iniciante, intermediário e especialista.

Ponto fraco: não impede que iniciantes se apresentem como especialistas.

Acesse o site aqui.

Workana

Ponto forte: permite contratar redator por hora de trabalho ou por projeto.

Ponto fraco: não é possível fornecer contatos para comunicação fora da plataforma.

Acesse o site aqui.

Freelancer.com

Ponto forte: é uma das maiores plataformas do mundo para contratação de freelancers.

Ponto fraco: a simples menção ao SEO no projeto gera uma chuva de candidaturas de profissionais de várias nacionalidades e sem o perfil desejado.

Acesse o site aqui.

Rock Content

Ponto forte: a plataforma filtra os redatores mais indicados para cada demanda.

Ponto fraco: não há chance de interagir diretamente com o autor do artigo contratado.

Acesse o site aqui.

Quanto pagar para um redator freelancer?

Nós temos aqui no blog um artigo voltado a redatores que traz dicas sobre quanto cobrar por texto.

Embora tenha sido desenvolvido para produtores de conteúdo, conta com informações úteis também para contratantes.

De maneira geral, o mais importante a saber é que o custo varia conforme o nível de experiência e qualidade do redator.

Se para você preço é o mais importante, não exija grande conhecimento do profissional.

Nesse caso, aceite a necessidade de fazer ajustes no texto e se acostume a participar mais ativamente do projeto.

O que acontece é que redatores iniciantes ainda não estão prontos a receber uma pauta e viabilizar um artigo perfeito.

Por vezes, falta a eles a vivência de textos anteriores, a habilidade de encaixar a palavra-chave nos lugares certos e a capacidade de agregar informações relevantes.

Podem até mesmo derrapar no português.

Isso sem falar na maior dificuldade de produzir um artigo capaz de chegar ao topo do Google.

É o preço a pagar por não priorizar a qualidade.

Por outro lado, se essa é a sua maior exigência, esteja preparado para remunerar o trabalho conforme ele merece.

Esqueça aquela ideia de que qualquer um escreve um bom artigo, pois não é verdade.

Se fosse tão simples, você faria isso nas horas vagas, concorda?

Compreenda que posicionar um texto entre os melhores é quase uma ciência.

Depende de SEO, da linguagem, do tom de voz, da pesquisa, do cuidado com as personas, enfim, de tudo aquilo que já mencionamos ao longo deste artigo.

Sugestão de valores

Levando isso em conta, veja como estimar os valores a pagar por cada texto que contrata:

  • Entre R$ 0,03 e R$ 0,04 por palavra: o redator é iniciante, tem dificuldade em articular e encadear ideias, não domina o básico do SEO e apresenta erros eventuais de informação e de gramática. Acaba dando muito trabalho para o editor, que precisa reescrever grandes trechos.
  • Entre R$ 0,04 e R$ 0,05 por palavra: o redator tem nível intermediário, aplica as principais técnicas de SEO e se esforça para produzir conteúdo de qualidade, mas ainda comete alguns erros de português e deixa de fora ideias importantes sobre o assunto e números, estatísticas e referências necessárias para a autoridade do post. Ainda dá trabalho para o editor.
  • Entre R$ 0,06 e R$ 0,08 por palavra: o redator produz textos de alta relevância, com todos os elementos de SEO e conteúdo que vão levar o post para o topo, embora ainda escorregue em questões pontuais. O trabalho do editor é bem menor.
  • A partir de R$ 0,09 por palavra: o redator está acima da média, é bastante experiente e consegue produzir bem e produzir rápido sobre qualquer assunto. O editor tem pouquíssimo trabalho.

A esses fatores, considere ainda o nível de dificuldade do tema proposto.

Escrever artigos sobre a indústria aeroespacial exige muito mais do redator do que se ele produzisse sobre bem-estar.

Logo, quando poucos são aqueles que conseguem entregar um conteúdo de qualidade sobre assuntos complicados, isso precisa aparecer na sua remuneração.

Contratar freelancer vale a pena?

Chegando ao final deste artigo, você já teve contato com informações e dicas valiosas sobre como contratar um redator freelancer.

Mas, antes de encerrar, cabe a pergunta: será mesmo essa a melhor decisão para a sua estratégia?

Analise o seu próprio projeto para chegar à resposta.

Você tem um responsável pela definição de personas, estudo de palavras-chave e proposição de pautas em um calendário editorial?

E quem fará o monitoramento dos resultados conforme os seus objetivos, checando números de acessos e conversões, custos de aquisição de clientes e outras métricas?

Isso sem falar nas tarefas mais simples, mas não menos importantes, como busca por imagens, edição em plataforma de publicação, inserção de links internos e externos, entre outras.

Nada disso é responsabilidade do redator freelancer.

Ele pode agregar algumas dessas funções, é claro, mas muito provavelmente será uma solução improvisada, já que a sua expertise é outra.

Então, o que fazer?

Garanta a qualidade do seu projeto

Se você não tem alguém na linha de frente da estratégia e quer garantir a qualidade do projeto, considere a contratação de uma agência de produção de conteúdo.

Transfira a ela a responsabilidade de colocar no seu blog um profissional com perfil adequado para atendimento às suas necessidades.

Esse é um investimento mais seguro e de melhor retorno, ainda que, à primeira vista, implique em um custo maior.

Você terá acesso a uma solução completa, sem que seja preciso se preocupar com critérios de seleção.

Também não precisará dedicar tempo e esforço a revisões no trabalho do redator, já que está contratando um pacote de artigos de altíssima qualidade esperada, sem arrependimentos.

Mas para acertar nessa hora, leve em conta o que falamos antes sobre parceria.

Nem sempre agências de grande porte e fama preocupam-se de fato com os resultados do seu projeto.

E você não gostaria de ser somente mais um cliente para elas, certo?

Redator Hacker não é apenas o melhor curso de SEO online, como também uma agência de marketing digital.

Ao contratar nossos serviços, você tem a segurança de agregar ao seu projeto redatores treinados e aprovados quanto às melhores práticas de produção de conteúdo que converte e dá resultados.

Faça contato e conheça o nosso método exclusivo para colocar seus artigos no topo do Google.

Não deixe de comentar abaixo e de compartilhar este artigo para que mais pessoas saibam como contratar um redator freelancer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *