Como escrever melhor: 22 atalhos para levar seu texto ao topo
Aluna de curso de SEO online
Curso de SEO: online e gratuito
01/04/2018
Redatores devem saber como finalizar um texto
Como finalizar um texto e garantir a conversão desejada
07/06/2018

Aprenda como escrever melhor: o atalho para seu texto chegar ao topo

Como escrever melhor? Essa é a pergunta que os redatores deveriam se fazer antes de pensar em SEO, marketing de conteúdo, jornada de compra, funil de vendas e storytelling.

Escrever melhor significa, primeiro, errar menos e acertar mais. Sim, estamos falando da gramática.

Na nossa agência de conteúdo, Redator Hacker, recebemos uma média de 10 textos por semana de redatores em busca de um espaço no nosso banco de talentos.

De todo o material recebido, lemos, pelo menos, dois textos de cada redator.

Chute aí: quantos candidatos entregam material com erros de português?

Resposta:

(Suspense)

9.

Sim, nove.

Isso quer dizer que a maioria absoluta dos redatores se dedica a encontrar oportunidades de trabalho, mas não faz o dever de casa: entregar um texto que, no mínimo, não tenha erros.

Mas sabe qual é o problema? É muito difícil ensinar como escrever melhor.

Para escrever melhor, você precisa ler mais e escrever muito, muito mais.

Na prática, quanto mais você ler e escrever, melhor seu texto vai ficar.

Só que, se você restringir sua atuação à leitura e à escrita, terá dificuldade em se livrar de vícios de linguagem e de entender as particularidades do idioma.

Então, surge a dica óbvia: é hora de voltar à gramática.

Pronto, metade dos leitores abandonaram este texto. Querem escrever melhor, mas se recusam a aprender. E aí digitam, no Google, como escrever melhor em busca de uma solução mágica.

Nós não temos uma solução mágica, mas você está com sorte, porque temos algo parecido: atalhos.

Sim, pequenos atalhos que vão levar você mais rapidamente para um nível de escrita muito melhor do que o atual.

Ficou interessado? Então vamos lá, em busca do primeiro coelho na cartola.

Como escrever melhor

Como escrever melhor – não errando

Como já adiantamos, escrever melhor é errar menos. Para isso, estas dicas vão ajudar:

Crie uma estrutura

Antes de escrever, crie (ou consulte na pauta) a estrutura básica do texto, com os subtítulos. Quanto melhor essa estrutura, mais fácil será escrever. Essa organização cria as peças principais do conteúdo. Depois disso, você só precisa encaixar as peças menores, uma a uma.

Use frases curtas

Lembre que frases curtas favorecem a leitura, especialmente em tempos de distração total e dispositivos móveis. Além disso, orações menores encurtam a margem de erro.

Prefira a ordem direta

 “Reli toda a gramática na segunda-feira”, por exemplo, se encontra na ordem direta. “Na segunda-feira, reli toda a gramática”, porém, está em ordem indireta. Aquela vírgula tem um motivo para estar ali: ela sinaliza um elemento deslocado (naquele caso, um adjunto adverbial de lugar, mas esqueça essa parte para não cair no sono).

Estabeleça um ritmo

Esse item anterior não quer dizer que você não possa usar a ordem indireta. É uma boa ideia variar de vez em quando, até para criar um certo ritmo de leitura.

Na dúvida, faça o simples

Se você não souber onde fica a vírgula, consulte o Google ou adapte a frase até chegar a um modelo com o qual você se sinta confortável.

Comece pelo mais fácil

Encare o texto como um quebra-cabeça e comece a encaixar as peças mais fáceis primeiro. Essa é uma dica para escrever mais rápido, mas se aplica ao nosso contexto, pois, se você acelerar o processo de construção, terá mais tempo para fazer revisões e edições.

Aprenda a usar a vírgula

Esqueça a ideia de que as vírgulas estão lá para que o leitor tome fôlego ou para indicar uma pausa.

Isso não é verdade. As vírgulas obedecem a uma lógica quase matemática.

Para entendê-la, nós vamos nos concentrar em padrões, mais adiante. Enquanto isso, lembre apenas que toda vírgula tem uma razão para existir.

E, se não tiver tempo para descobrir o melhor lugar para a vírgula em uma frase, é melhor não a colocar. Mude a frase, ou deixe sem mesmo. A falta de uma vírgula pode ser desatenção, mas uma vírgula que não deveria estar ali é falta de conhecimento.

Tome cuidado com a crase

A mesma dica se aplica à crase: se você não tiver certeza da crase, não tiver tempo de consultar o Google, não conseguir reescrever a oração e se sentir impelido a tomar uma decisão em alguns segundos, então ignore a possibilidade da crase.

Mais uma vez, repetimos: a falta de uma crase tem chance de ser considerada apenas um lapso mental. Já a crase extra salta aos olhos do editor (ou do leitor mais atento) e machuca.

Leia em voz alta

Quando sentir que seu texto está bom, leia tudo em voz alta. Você vai se sentir idiota, mas é melhor se sentir idiota sozinho do que depois, aos olhos do leitor. Tudo que parecer estranho merece a sua atenção. Às vezes, você não sabe qual é o erro, mas sabe que há algum problema na frase. Tudo bem: com esse conhecimento, você pode, no mínimo, adaptar a oração para que ela fique mais simples (e correta).

Recorra ao Google

Todas as vezes em que você tiver dúvidas, recorra ao Google. Entre os primeiros cinco resultados, você encontrará uma boa resposta para a sua questão. Só erra quem é preguiçoso.

Reescreva

Você vai ver que seguir essas dicas demanda um bom tempo. E isso faz todo o sentido, porque escrever é reescrever. Você já deve ter lido isso em algum lugar, e é verdade: escrever melhor é saber cortar. De preferência, corte o que está errado e o que é excesso.

Pronto, se você seguir essas dicas, já vai escrever melhor. Lembre-se: a concorrência entre os redatores focados em SEO é muito mais fraca do que você imagina. Comece a entregar textos melhores, e você terá mais trabalho.

manual do redator freelancer

Como escrever melhor – observando padrões

Um atalho para escrever melhor sem precisar voltar para a gramática é decorar alguns padrões da linguagem. Se você se dedicar a ler e reler frases que estão corretas, vai conseguir reproduzir os mesmos padrões em suas frases e adaptá-los para nunca mais errar. Veja alguns padrões importantes:

Vírgula

A vírgula mal colocada atrapalha a leitura do editor experiente (mais do que a do leitor).

Nem sempre, esse erro é fatal. Em um texto de três mil palavras, por exemplo, uma vírgula fora de lugar não vai atrapalhar tanto assim.

Mas, se você não tem ideia do que está fazendo, vale a pena dar uma revisada na gramática. Talvez você esteja errando mais do que imagina.

Para encarar a vírgula do jeito certo, o Redator Hacker deve esquecer aquela ideia besta da pausa. Vírgula não serve para conferir uma pausa à narrativa, e sim para estruturar adequadamente a leitura e melhorar a compreensão da frase.

Aqui, não vamos categorizar nem apelar para a aula de português, e sim ensinar alguns padrões que vão facilitar muito a sua vida.

Primeira regra: ordem direta não tem vírgula. Ou seja, se estiver em dúvida, simplifique e use a ordem direta.

Exemplos de ordem direta

  • Encontro Joana e Felipe nos meus passeios matinais.
  • O incêndio destruiu o prédio azul na manhã de sábado.
  • A  jornada de um Redator Hacker começa com uma xícara de café para fomentar as ideias e impulsionar a criação.

Esses três exemplos mostram a ordem direta, sem vírgula.

Ordem indireta

Agora, vamos adaptá-los para a ordem indireta:

  • Nos meus passeios matinais, encontro Joana e Felipe.
  • Na manhã de sábado, o incêndio destruiu o prédio azul.
  • Para fomentar as ideias e impulsionar a criação, a jornada de um Redator Hacker começa com uma xícara de café.

Percebeu os padrões? Sempre que um elemento é deslocado de sua posição natural, a vírgula acompanha.

Mas qual é a posição natural dos elementos? Esta aqui: Sujeito + Predicado + Complementos.

Ok. Agora basta lembrar: quando essa ordem é alterada, recorre-se à vírgula.

Para fixar essa história da vírgula, você vai ver que o melhor caminho é lembrar os padrões. Assim, você vai identificá-los no texto, mesmo sem saber o que cada um faz exatamente, e poderá tomar decisões baseadas em bons exemplos.

Exemplos de bom uso da vírgula

  • Na última sexta-feira, ​o Mercado Público foi destruído
  • Em uma bela manhã de sol, a​ vida não poderia sorrir com maior entusiasmo
  • Quanto mais você procurar, mais erros vai encontrar.
  • Para o redator que ainda tem medo da vírgula, ​o melhor caminho é procurar padrões, identificá-los corretamente e depois utilizá-los em seus textos
  • Se você acha que a vírgula é um mistério, talvez lhe falte alguma leitura
  • Por isso, a vírgula mal colocada chama a atenção do editor.
  • Na verdade, quanto mais você estudar a vírgula, mais vai encontrar erros no texto de quem parecia escrever tão bem
  • Adoro uma vírgula bem colocada, mas não suporto o ponto-e-vírgula
  • Ele queria usar vírgula para dar pausa, porém logo percebeu a bobagem que estava fazendo.

Viu como é fácil? Como os outros casos de uso da vírgula são ainda mais óbvios, vamos partir agora para outro dos principais erros.

Por que / porque / porquê/ por quê

O porquê é outro problema gigante. Muita gente boa escorrega aqui, e até quem sabe a regra acaba se descuidando de vez em quando.

Por quê? Basicamente, porque são quatro maneiras de escrever o que parece ser a mesma coisa (e não é). Veja como diferenciar:

  • Porque: usado em frases afirmativas que oferecem causa ou explicação
  • Por que: usado em orações interrogativas ou em afirmativas quando pode ser substituído por “pelo qual”, “por qual razão”, “por que motivo” e variações
  • Por  quê: usado no final de oração interrogativa e antes de vírgula e dois-pontos (este aqui é mais chatinho, mas teremos exemplos)
  • Porquê: usado quando se trata de um substantivo (o porquê).

Exemplos de bom uso do porquê

  • Não sei por que você se foi
  • Existem inúmeros motivos por que você não deve me deixar
  • Ninguém entende por que o árbitro não marcou aquela falta
  • Por que você não olha para mim?
  • Por que o céu é azul?
  • Não consegui chegar para a primeira reunião do dia, porque me atrasei no trânsito
  • Fiquei atrapalhado ao encontrar aquela pessoa no supermercado, porque não lembrava seu nome
  • Ela ficou feliz ao me ver, mas não sei por quê: duas semanas antes, queria me matar.
  • Parece impossível entender o “porquê”, mas não é.
  • O marido desconfiou do porquê, mas concordou mesmo assim
  • Por quê, meu Deus? Por quê?

Pronto, agora só erra quem quer.

Crase

Uma crase mal posicionada não pega nada bem para o redator. O editor que identifica esse tipo de erro sabe imediatamente que não pode confiar plenamente no texto e passa a vasculhar cada frase com afinco ainda maior, atrás de qualquer outro descuido.

Por isso, é bom lembrar: se você estiver em dúvida, não encontrar o Google por perto (como assim?) e precisar entregar logo o texto, não use a crase.

Uma crase inventada vai ser identificada em qualquer passada de olhos pelo texto e categorizada imediatamente como um sinal de desconhecimento do redator. Já a ausência de uma crase só vai ser percebida depois e pode ser considerada um lapso momentâneo.

Mas, convenhamos, o melhor é não passar por essa situação.

Exemplos de bom uso da crase

  • Às sextas-feiras, a gente almoça em restaurante
  • Você pode entrar em contato conosco das 7h às 19h
  • Nesta quinta-feira, viajo à França
  • Entregue este papel à vendedora
  • Você pode encaminhar o e-mail àquela aluna?

Nos exemplos acima, o uso da crase fica bem claro, mas, na hora da prática, pode haver confusão.

Por isso, para errar menos, lembre: crase = a + a.

Então, um jeito rápido de descobrir se a expressão tem crase é adaptá-la para o masculino.

Exemplo: Entregue este papel ao vendedor. Então, tem crase: Entregue este papel à vendedora.

Outro jeito de acertar é substituir o “à” por “para a”.

Exemplo: Nesta quinta-feira, viajo para a França (então, tem crase).

Mas veja este outro exemplo: nesta quinta-feira, viajo a Paris (sem crase). Por quê? Porque você viaja para Paris, e não para a Paris.

No fim das contas, se você não estiver disposto a encarar a leitura da gramática, basta ficar atento a esses padrões e, ao menor sinal de dúvida, jogar a expressão desejada no Google.

Para ter maior êxito, a busca pode ser feita da seguinte maneira:

Site:veiculodecomunicacaoemquevoceconfia.com “expressão”

Com essa busca, você vai encontrar os principais resultados do site de confiança para aquela expressão desejada. Aí, basta ver se vai crase ou não.

Essa tática vale, obviamente, para qualquer dúvida que você tiver.

Outros erros comuns

  • Vende-se casas: o correto é vendem-se casas. E todos os outros exemplos que você imaginar seguem esse padrão – com exceção da letra b, a seguir.
  • Precisam-se de redatores: aqui, quando há a preposição “de”, o verbo não flexiona e fica no singular. O correto é “Precisa-se de redatores”.
  • Em vez de / Ao invés: o primeiro indica uma substituição de um por outro, e o segundo sugere um elemento oposto ou contrário. Exemplos: Em vez de seguir o carro à minha frente, desci e fiz o caminho a pé. Ao invés de entrar à direita, entrei à esquerda.
  • Maior / mais: use o primeiro caso para intensidade e o segundo, para quantidade. Exemplos: 1) conquistei maior liberdade / 2) conquistei mais clientes.
  • Remonta há: o correto é “remonta a”.
  • Há 20 anos atrás: você pode escolher entre “há 20 anos” ou “Vinte anos atrás”.
  • Por hora: se você ganha por hora de trabalho, OK. Mas, por ora, não é o caso de todo mundo.
  • Fazem 20 anos: nesse caso, “faz” não flexiona. Exemplos: Faz 20 anos / há 20 anos.
  • Através de um acordo: o correto é “por meio de”. Use “através” apenas para descrever alguém que observa o que está do outro lado de uma janela.
  • Aonde você está: o correto é “onde você está”, “aonde você vai”.
  • Chegou em Recife: O correto é “chegou a Recife”. “Chegar” dá ideia de movimento e acompanha a lógica do “aonde”. Quem chega, chega a algum lugar.

 

Escrever melhor é reescrever

Uma das dicas reiteradas ao longo deste post é que você deve reescrever mais. Mas como fazer isso? E por que isso dá resultado?

Bom, primeiro você precisa entender que estas palavras digitadas aqui são a transposição do pensamento para a tela. Elas estão em uma dimensão paralela (aquela onde residem as ideias, seja lá onde for), e nós precisamos trazê-las para cá.

Esse processo de conversão das ideias para as palavras exige a percepção de que uma palavra, por si só, não quer dizer o mesmo para todo mundo, que uma frase isolada não apresenta um sentido completo e que, muitas vezes, as primeiras palavras digitadas fazem sentido apenas para o redator, que tem contato direto com aquela dimensão paralela.

Pense nisto: é como se a primeira encarnação do seu texto, a versão original, não pudesse ser vista pelo leitor. Como se, para isso, você precisasse colorir melhor aquelas letras e revelar seu sentido para o mundo.

E para colorir as palavras e revelá-las para o leitor, você precisa reler o seu texto com os olhos de quem não tem contato direto com o seu campo das ideias.

Simples: nessa releitura, esqueça todas as referências às quais você teve acesso e tente não levar em conta tudo que você sabe sobre o assunto. Busque ler as palavras em voz alta como se estivesse enxergando aquele material pela primeira vez. E então, tudo que parecer estranho deve ser adaptado.

Esse esforço de releitura será muito útil no início de sua jornada como redator. E é bom considerar que um redator precisa de muitos anos de texto para começar a escrever bem. Então, se você está lendo este texto, considere-se dando os primeiros passos, baixe a cabeça e releia os seus textos.

Ao longo do tempo, você cometerá menos erros e terá uma visão mais apurada de seu próprio texto. Assim, vai levar menos tempo para escrever e editar e terá mais tempo para ganhar dinheiro.

Há muitas outras dicas para escrever melhor, mas vamos parar por aqui. Só não esqueça destes mandamentos: seja claro, sucinto e interessante.

Escrever melhor requer esforço

Como você sabe, nós temos um curso de redação SEO, o Redator Hacker.

Nesse curso, existem aulas que mostram, passo a passo, como criar um projeto de conteúdo de sucesso, como atingir as primeiras posições do Google com seu texto, como conquistar mais clientes como redator freelancer e como pegar o leitor pela mão e levá-lo até o fim do post.

Nossos alunos se tornam redatores melhores e se capacitam para criar conteúdo altamente relevante, que chega ao topo do Google, converte e dá resultado.

Mas não tem como ensinar a escrever melhor se você não se dispuser a tentar aprender. Prestar atenção em algumas aulas não vai levá-lo ao patamar de excelência necessário para superar a concorrência e faturar de verdade como redator.

Como a gente já disse e repetiu, dá para ganhar bastante dinheiro como redator hoje em dia. Mas, para isso, você precisa se conscientizar de que é necessário escrever mais, escrever melhor e errar menos.

Ao longo do curso, a gente oferece inúmeras dicas e atalhos como estes que você viu aqui neste post. Temos um material farto que serve com folga para encorpar o seu texto.

Mas a mágica depende de você.

O coelho está na cartola. E é hora de tirá-lo de lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *