Como ganhar dinheiro escrevendo textos
Personas
O que são personas e como aplicá-las no marketing de conteúdo
13/06/2018
Featured Snippets
Exemplos e boas práticas de snippets: como atingir a posição zero do Google
28/06/2018

Quer ganhar dinheiro escrevendo textos? Fuja destes 7 erros

Ganhar dinheiro escrevendo textos quando e como quiser é uma meta?

As vantagens são muitas, mas não chega a ser uma ideia inovadora.

Neste momento, apenas na plataforma 99Freelas, há 57.456 profissionais cadastrados para desenvolver atividades de redação.

A concorrência, portanto, é numerosa.

Mas e em qualidade? Será que você está além ou aquém da média do mercado?

Para encontrar a resposta, comece fazendo uma autoanálise, identificando se comete alguns dos erros banais que mais prejudicam as carreiras de produtores de conteúdo para sites e blogs.

Redatora vai ganhar dinheiro escrevendo textos

Ganhar dinheiro escrevendo textos: 7 erros e soluções

Muito antes da qualidade de produção, há questões comportamentais que podem atrapalhar o seu projeto de ganhar dinheiro escrevendo textos.

Para falar sobre elas, conversamos com o coach Tiago Galindo.

Ele fez uma análise sobre os equívocos mais comuns cometidos por redatores e apresentou dicas para corrigir o rumo e encontrar o sucesso na carreira.

Pronto para iniciar uma sincera autocrítica?

1. Não saber vender o seu trabalho

Você nasceu com dom para a escrita, não para as vendas.

Esse não é um obstáculo só seu, mas comum à maioria dos produtores de conteúdo.

Então, conforme-se: ao não encarar o desafio de desenvolver uma nova competência, você será no máximo um ótimo redator sem trabalho – um modelo de negócio falido.

Mas o que fazer para conseguir clientes?

A dica de Galindo é caprichar na apresentação, lembrando que ela ocorre por meio digital e não presencialmente, como em uma entrevista de emprego.

Fale sobre as suas qualificações, ainda que não tenha experiência anterior como redator.

Afinal, se está nessa nova função, é porque se qualificou para ela, correto?

Então, comente sobre a sua formação, destaque os cursos que realizou, explique em detalhes o que sabe fazer.

Tenha especial cuidado com a escolha das palavras-chave do seu perfil, pois você pode ser encontrado a partir de uma pesquisa digital – algo comum no LinkedIn, por exemplo.

Já ao usar uma plataforma para conseguir trabalho como redator online, personalize o contato e interaja com o potencial cliente.

Ofereça diferentes meios para se comunicar com ele, como e-mail, Skype, WhatsApp e Facebook.

A partir daí, seu novo desafio será convencê-lo quanto ao valor do seu trabalho, o que nos leva a um próximo equívoco comum.

2. Não passar segurança ao cliente

Você não precisa fazer cursos de atendimento ao cliente, embora toda forma de conhecimento agregue.

A segurança que um possível contratante precisa ter para fechar o job depende das informações que você fornece a ele.

Se cumpriu a lição número 1 e se apresentou adequadamente, mostre um pouco do seu trabalho, com textos já produzidos.

Não tem o que mostrar? Faça um artigo teste.

À primeira vista, pode não ser o ideal, mas veja como um investimento.

É o que recomenda Galindo: “Quem é mais novo está sujeito a isso, não tem jeito. Muitas vezes, vai ser preciso dar muita coisa para depois ganhar”.

Quer uma sugestão ainda melhor?

Faça um artigo comentado, detalhando como usou as técnicas de SEO no título, subtítulos e ao longo do texto.

Explique a sua preocupação para construir uma introdução que cative o leitor a seguir no artigo.

Seja bastante didático em suas explicações.

Ao final, apresente variações de CTA, o call to action, que é uma excelente forma de concluir um texto para blogs.

Perceba que, assim, mesmo sem habilidades avançadas de atendimento ao cliente, você dará a ele elementos para proporcionar a segurança que precisa sentir para contratar o seu trabalho.

“Você vai mostrar que, se for escolhido, vai cumprir com tudo o que o cliente precisa. Não precisa nem falar. Ele vai ver”, destaca Galindo.

3. Não saber sobre o que escrever

Você está apto a produzir bem sobre qualquer assunto?

Se não está, como espera ganhar dinheiro escrevendo textos sobre temas que não domina?

Entenda que o cliente contrata um produtor de conteúdo que solucione a sua demanda.

Na maioria das vezes, você escreverá como ghostwriter, o que na prática quer dizer que outra pessoa vai aparecer como autor do artigo.

Esse sim é um especialista, precisa mostrar domínio do assunto, mas está nas suas mãos para isso.

Então, não caia no equívoco de se candidatar a jobs que não pode atender com qualidade.

Atirar propostas ao vento, sem nem ao menos ver do que se trata o projeto, é prejudicial de duas formas.

Primeiro, como a sua intenção é pública, transmite despreparo, desespero e queima o seu filme no mercado.

Segundo, caso alguém o contrate, você corre o risco de entregar um artigo que será reprovado.

Em plataformas de trabalho freelancer, a avaliação sobre o redator também se torna pública e, no fim das contas, contribui para prejudicar a sua reputação.

Não sabe o que fazer?

A dica de Tiago Galindo é começar definindo um ou mais assuntos sobre os quais tem prazer em escrever.

Depois, analise a viabilidade deles.

Em bom português, responda se é possível ganhar dinheiro escrevendo textos nos temas que selecionou.

“É fácil saber. Todo redator que conhece SEO sabe pesquisar se o assunto é relevante ou não”, diz.

Por fim, antes mesmo de ser contratado, produza conteúdo na área escolhida.

É a recomendação que sempre passamos aos alunos do curso de SEO online Redator Hacker preocupados com a falta de um portfólio: tenha um blog.

Capriche nos textos que criar, pois serão parte da sua apresentação.

Além disso, serão úteis para garantir ao cliente a segurança que ele necessita para definir qual redator contratar.

4. Não entregar um artigo original

Sabe o que acabamos de falar quanto a queimar o redator no mercado?

Multiplique inúmeras vezes e chegará ao resultado alcançado por entregar um texto não original ao cliente.

Estamos falando tanto de plágio, que é quando você simplesmente copia e cola trecho de outro texto já publicado, quanto da tradução de um artigo encontrado em site estrangeiro.

Para quem trabalha com copywriting, esse é um erro imperdoável.

Transmite ausência de valores morais e éticos e passa a ideia de que você ou tem preguiça de produzir conteúdo original ou tentou mesmo enganar aquele que lhe contratou.

Não adianta argumentar que foi falta de cuidado ou que a cópia se limitou a uma única frase.

Nada disso apaga o erro.

E não se engane achando que a artimanha não será percebida.

Atualmente, há ferramentas online que facilmente a identificam.

Veja o que diz o coach Tiago Galindo sobre a sua própria experiência na contratação de redatores:

“Se a pessoa me manda um artigo copiado, eu vejo na hora”, diz, acrescentando: “Moral e ética são comportamentos acima da lei”.

5. Não respeitar prazos com os quais se compromete

Na ânsia de conquistar clientes e ganhar dinheiro escrevendo textos, o redator pode assumir mais tarefas do que consegue dar conta.

O problema é que entregar um artigo com atraso, em algumas situações, pode ser tão prejudicial para a sua reputação quanto apresentar um texto ruim.

Nem sempre esse comportamento é fruto da falta de comprometimento.

Pode ser uma consequência da inexperiência, mas nem por isso perdoável.

O que você precisa é identificar quanto tempo leva para produzir.

Então, pegue o cronômetro e faça diferentes textos, envolvendo artigos de tamanhos variados.

Conforme lembra Galindo, ao ter esses números bem claros, o redator freelancer consegue construir uma agenda de trabalho e se organizar melhor.

Ele também ensina uma técnica de produtividade que pode ser bastante útil.

Veja no passo a passo:

  1. Defina um dia para se dedicar à produção de conteúdo
  2. Comece às 8h, pare às 12h para o almoço, volte às 13h e pare às 17h
  3. Marque no cronômetro a primeira pausa após 50 minutos
  4. Faça um intervalo de 5 minutos para beber água, ir ao banheiro ou fazer um alongamento
  5. Retome por mais 50 minutos até a próxima pausa
  6. No terceiro intervalo, faça uma interrupção um pouco maior, de até 15 minutos, aproveitando para comer um lanche, tomar um café ou responder a um e-mail
  7. Siga esses passos também no turno da tarde, mantendo o foco e fugindo de distrações, como WhatsApp e redes sociais.

Com essa técnica, fica mais fácil mensurar a produção possível em horário comercial, o que ajuda até mesmo para definir quanto cobrar por texto.

“O redator começa a se organizar, saber os seus limites, até onde pode ir. Passa a se conhecer melhor”, afirma Galindo.

6. Não estabelecer uma rotina no home office

Ganhar dinheiro escrevendo textos em casa quase sempre parece uma ótima ideia.

Mas você já parou para pensar em como organizar essa rotina?

Além da própria disciplina relacionada ao trabalho, por vezes falta a compreensão de amigos e familiares, que não levam tão a sério a sua atividade.

E aí acontecem interrupções desnecessárias que só atrapalham a sua concentração e produtividade.

A sua primeira atitude deve ser determinar um espaço de trabalho na casa.

É o seu lugar sagrado, onde a magia dos textos que fazem sucesso no Google acontece.

Em seguida, é preciso apresentar o local aos familiares.

Você deve entender que de nada adianta reclamar das interrupções se não explica como a sua profissão funciona.

Fale da sua rotina, da concentração que a atividade de redator home office exige, das tarefas de escrita, reuniões por Skype, e tudo o que faz parte do seu dia a dia.

Ao contar com a compreensão de terceiros sobre o seu trabalho, não esqueça de fazer a sua parte.

Lembre-se das dicas sobre as quais falamos antes, relacionadas à gestão do tempo.

Enquanto estiver produzindo, se desligue do mundo, esqueça WhatsApp, Facebook e até o e-mail.

Se estiver esperando por uma mensagem importante, configure um alerta para determinado remetente.

Mesmo que o seu trabalho seja em casa, é preciso ter horários bem definidos.

7. Não se decidir pela carreira de redator

Você pode ser freelancer e ganhar dinheiro escrevendo textos nas horas vagas.

Não há problema algum nisso.

Mas se quer viver como produtor de conteúdo, chegará o momento em que terá que tomar uma decisão e passar de empregado para empreendedor.

É compreensível que tenha certa insegurança, esteja preso à ilusão da carteira de trabalho, com receio da renda variável e a falta de uma remuneração fixa.

Tudo isso faz parte, mas não há outro caminho.

Enquanto adia esse passo, seus ganhos serão limitados pelo próprio tempo que se dedica à atividade.

Galindo diz que essa decisão demanda um trabalho de autoconhecimento.

Você precisa fazer as contas para amadurecer a ideia.

Se cronometrou o seu tempo de produção e sabe quanto cobrar por texto, já deu o primeiro passo.

A partir daí, calcule quantos artigos consegue escrever bem em uma jornada de oito horas por dia, igual à do seu atual emprego.

Supondo que comece fazendo dois textos de mil palavras por dia, cobrando R$ 30,00 por cada um, terá recebido nesse período R$ 60,00.

Dessa forma, seus ganhos em um mês com 22 dias úteis serão de R$ 1.320,00.

Para analisar a viabilidade do projeto, compare o faturamento com o que recebe de salário líquido hoje.

Mas quando ocorre a virada da chave, trocando a vida de freelancer pela do redator empreendedor?

“Quando construir um colchão financeiro”, recomenda Galindo.

Isso significa fazer uma reserva que o mantenha sem dificuldades por cinco a seis meses.

É um prazo seguro para conquistar novos clientes e ver seu faturamento aumentar.

Resumindo: se o projeto é viável, compensa financeiramente, tem mercado e você vai ganhar em qualidade de vida, vá em frente e tome a decisão.

“Toda virada de chave é difícil, mas ela é necessária”, conclui o coach.

Você pode ser um redator melhor

Este artigo apontou sete erros que atrapalham o projeto de quem quer ganhar dinheiro escrevendo textos.

Se você se identificou com algum deles, considere as dicas que apresentamos para corrigir o rumo da sua carreira.

Trabalhar como redator oferece a você a chance de produzir artigos de onde quiser, sobre os mais variados assuntos.

Isso sem falar que é um mercado altamente promissor para bons profissionais, considerando que os investimentos em marketing de conteúdo são uma realidade nas empresas brasileiras.

Para estar apto às oportunidades que irão surgir, você pode ser um redator melhor.

Avanços em questões comportamentais podem se valer do apoio de um coaching, que não é um consultor, tampouco um terapeuta.

Esse é um profissional que foca justamente no desenvolvimento ou aperfeiçoamento de suas competências e habilidades.

Ou seja, trabalha suas atitudes enquanto pessoa e como elas se refletem na atividade que exerce.

para tornar o seu texto mais rico, entregar ao cliente a solução que ele deseja, dominar o SEO e colocar seus artigos no topo do Google, só há um caminho.

O curso Redator Hacker é o primeiro, único e mais completo para capacitar produtores de conteúdo que desejam levar seu texto a um próximo nível.

Com uma abordagem prática e sem focar em metodologia entediante, essa qualificação traz tudo o que você precisa para criar artigos que convertem.

Conheça mais sobre a grade curricular e faça a sua inscrição.

E não esqueça de deixar seu comentário abaixo e de recomendar este artigo para amigos e colegas que também desejam ganhar dinheiro escrevendo textos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *