Gestão de conteúdo para startups: Acelere com Inteligência
Como contratar um redator freelancer
Como contratar um redator freelancer de alta qualidade em 7 dicas
24/07/2018
Ferramentas de SEO para startups
As melhores ferramentas de SEO para startups
13/09/2018

Como fazer a gestão de conteúdo para startups

A gestão de conteúdo para startups exige um nível de inteligência maior do que em empresas tradicionais.

Não basta escrever para blogs e redes sociais sem planejamento, contando com a sorte e dependendo do tempo livre de profissionais que estão dedicados a outras tarefas.

Como todos os processos de gestão de startups, a criação do conteúdo não pode se sustentar em práticas do passado.

É preciso aplicar ao conteúdo todas as técnicas de growth hacking em SEO e outras mídias que permeiam o crescimento acelerado da empresa.

Mas como fazer isso? É o que vamos descobrir em seguida.

Gestão de conteúdo em startups

Gestão de conteúdo deve ser acelerada com inteligência

O que é gestão de conteúdo para startups

A gestão de conteúdo de startups é o sistema de controle da criação, atualização e monitoramento de todas as peças e materiais de comunicação e marketing da empresa.

Essa gestão pode ser feita a partir da orientação e do gerenciamento de uma equipe interna ou externa.

Nos dois casos, é necessário criar um planejamento editorial e uma estratégia completa que envolva todas as mídias digitais.

Então, em quais canais você irá atuar?

Não dá para deixar o blog de fora, já que ele traz retorno orgânico, que cresce por meio de buscas e segmenta o público-alvo a partir do assunto.

Também não se pode ignorar as redes sociais, embora elas estejam cada vez mais distantes do controle dos produtores de conteúdo.

E o e-mail, alvo de constantes debates, ainda é um dos melhores “fechadores de negócio” da internet.

Nesse esboço de pautas e conteúdos, é essencial definir objetivos bastante claros (KPIs, os famosos indicadores-chave de desempenho).

Entre as metas, podem constar:

  • Qual é a audiência desejada no primeiro mês, nos primeiros seis meses e no primeiro ano?
  • Com qual frequência serão atualizadas as mídias de publicação (Facebook, Instagram, Twitter, blog, e-mails, vídeos do YouTube)?
  • Qual é o retorno exato que você almeja em cada uma dessas mídias?
  • Quantos leads você espera obter em cada uma e em quanto tempo?
  • Quantas conversões de leads em clientes?
  • Qual será a taxa de rejeição tolerada para os posts do blog?
  • Qual será o tempo médio de leitura desejada?
  • Qual será o alcance das publicações nas mídias?

5 erros na gestão de conteúdo para startups

Veja a seguir alguns dos problemas mais comuns na gestão de conteúdo de startups:

  1. Acelerar alcance, impulsionar publicações e segmentar sem considerar a qualidade do conteúdo e os objetivos precisos de cada uma das postagens.
  2. Acreditar que a equipe interna vai resolver o problema sem diretrizes claras (e, muitas vezes, sem o tempo necessário para isso)
  3. Focar apenas nas redes sociais, por acreditar que é lá que está o seu público, e assim ficar refém de algoritmos que não estão no seu controle
  4. Ignorar as particularidades de cada mídia e assim perder relevância em todas elas
  5. Manter o SEO como um pano de fundo por acreditar que ele só dará resultado no longo, longo prazo.

Gestão de conteúdo para startups: passo a passo

Agora que você já sabe o que não fazer na sua gestão de conteúdo, que tal aprender passo a passo como colocar em prática seu plano de marketing de conteúdo:

1. Defina os objetivos gerais do conteúdo

Primeiro, você precisa entender o que uma boa gestão de conteúdo fará pela sua startup. Que tipo de resultado ela pode trazer? Quais são os objetivos de curto, médio e longo prazo?

Nesse esboço, leve em consideração os seguintes aspectos:

  • Qual será o mais efetivo método de divulgação do seu produto ou serviço?
  • Caso você tenha mais de um produto ou serviço, ambos se beneficiam da mesma estratégia?
  • Como cada uma das mídias pode aumentar as vendas?
  • Qual é o percentual das vendas que ficará a cargo dessas plataformas de conteúdo?
  • Como você pretende se relacionar com sua base de assinantes, clientes ou usuários?
  • Qual é a importância desse engajamento com os clientes e leitores? Que tipo de resultado essa aproximação trará?
  • Você quer se focar apenas em inbound marketing ou terá ações de outbound? Nesse caso, qual será o melhor ROI (Return on Investment)?

2. Crie os canais de comunicação

É hora de arregaçar as mangas e criar seus canais de conteúdo: blog, redes sociais, software para trilhas de e-mails, canal para vídeos, etc.

Antes de divulgar essas mídias, personalize tudo que for possível e deixe cada uma dessas plataformas com sua cara. Use o logo, fotos no estilo do seu branding, textos com tom de voz amigável e conteúdo que dialogue de fato com o seu público-alvo ou suas personas.

3. Crie um planejamento editorial

Esse planejamento editorial deve partir de dois pilares fundamentais: o produto/serviço e a persona.

Para o primeiro pilar, o foco é investigar possibilidades de pautas dentro do universo imediato do seu produto ou serviço.

É hora de se debruçar em palavras-chave, tendências e na concorrência para descobrir tudo que você pode explorar no seu nicho.

Para o segundo pilar, você precisa contar com suas personas bem afinadas, porque elas servirão de norte para o conteúdo.

Além de direcionar o tom de voz e o tipo de comunicação, cada persona pode servir de base para a investigação de mais pautas.

O que é que o seu público-alvo está buscando, em um universo próximo do seu, que pode ser explorado na sua produção de conteúdo? Quais dores desse possível cliente podem ser solucionadas pelo seu produto, mesmo que ele (ainda) não se dê conta disso?

Nesse planejamento, vale a pena levar a sério a organização:

  • Crie planilhas: elas servirão para ideias de keywords, para o planejamento editorial e para o acompanhamento das pautas com os redatores/produtores/editores/agências. As planilhas, claro, podem ser substituídas por qualquer software que atenda melhor às demandas de sua startup. Muitas vezes, porém, o excesso de tecnologia nessa hora pode complicar mais do que ajudar. O Trello é um organizador de tarefas que pode servir de atalho para essa tarefa.
  • Tenha rotinas: você precisa publicar conteúdo com regularidade e com qualidade. Para isso, é necessário definir rotinas de produção e edição e segui-las fielmente.
  • Preze pela qualidade: não produza peças de conteúdo superficiais, que não respondem às dúvidas dos seus usuários e que não afetem positivamente sua relação com seu público. Publicar por publicar não adianta. Publique para engajar, comover, convencer e vender.

4. Explore os números

Os melhores amigos do conteúdo são, por incrível que pareça, os números. Eles servirão de bússola para a priorização, para o melhoramento e para o acompanhamento dos resultados de seu projeto editorial.

Para essa investigação, use ferramentas de busca de palavras-chave (como Ubersuggest, Keyword Planner, SEMRush, etc), tendências (Google Trends) e relatórios de trends de mídias sociais (em Facebook, Instagram e Twitter).

Uma boa medida para alavancar sua audiência tanto no curto quanto no longo prazo é investir em SEO em combinação com e-mails e canais sociais.

Quando bem sintonizada, essa trinca traz benefícios imediatos e sustentáveis.

Só não vale, claro, criar um conteúdo para o seu blog e replicá-lo sem edições (e sem cuidado) no e-mail e no Facebook achando que vai dar muito resultado.

Cada uma dessas mídias exige uma linguagem própria e obedece a algumas técnicas particulares.

Não generalize na tentativa de buscar resultados rápidos. As más práticas têm consequências bem rápidas, mas desastrosas.

5. Automatize tudo que for possível

Uma boa gestão de conteúdo em startups exige que você possa concentrar seus esforços no planejamento e na estratégia.

Por isso, deixe a produção a cargo de um setor ou agência de conteúdo responsável e se dedique a fazer o seu negócio crescer.

Mesmo que você não conte com muitos profissionais de comunicação, pode usar ao máximo as integrações de software para ganhar tempo e terceirizar a mão de obra.

Isso significa contratar uma agência ou redatores para o trabalho pesado e ficar com a função interna de organizar, controlar e dirigir os esforços dos fornecedores.

Você pode manter um Content Manager na equipe e contratar o restante do pessoal de fora, para agilizar esforços e acelerar resultados.

Dessa forma, você tem o olhar do editor dentro da empresa e usufrui da experiência e inteligência de quem se dedica apenas à produção de conteúdo.

Gostou das dicas para sua gestão de conteúdo em startups? Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *