O que é SEO para redatores: Passo a passo
Como ganhar dinheiro com blog em qualquer lugar
Como ganhar dinheiro com blog: 9 verdades e 1 mentira
12/09/2017
Participante de um dos melhores programas de afiliados
Melhores programas de afiliados: como ganhar dinheiro com eles?
15/09/2017

O que é SEO: a resposta definitiva para redatores

Não dá para ser um produtor de conteúdo digital sem saber o que é SEO. Quem se arrisca a escrever sem entender do que o Google gosta, tem na falta de acessos uma consequência.

Isso vale tanto para proprietários de blogs como para quem produz para terceiros. E você não quer ser um freelancer sem jobs, não é?

A boa notícia é que o que já era simples descomplicou geral. Neste guia de SEO para redatores, vamos explicar como técnicas aplicadas ao seu texto podem levá-lo ao topo.

Preparado para decolar?

O que é SEO em pesquisa no notebook

O que é SEO?

A sigla SEO se refere à expressão em inglês Search Engine Optimization, que significa otimização para mecanismos de buscas. Quando aplicado ao texto, se materializa em técnicas que o tornam mais atrativo. Isso leva o Google a conceder uma espécie de selo de qualidade, classificando o artigo como um dos melhores sobre determinado assunto.

Aqui, cabe um rápido parênteses. Existem outros mecanismos de buscas, mas quem você conhece que não usa o Google? Ano após ano, estudos indicam que ele é utilizado em mais de 90% das pesquisas online. Então, toda estratégia de SEO tem o Google como foco.

Mas por que você precisa saber o que é SEO e entender sobre tais técnicas?

De forma bem resumida, há três maneiras de gerar tráfego para um site ou blog:

  • Por acessos diretos: o usuário reconhece sua autoridade e tem até o seu endereço entre os favoritos.
  • Por acessos pagos: você investe na publicidade em diferentes plataformas, incentivando o usuário a clicar para visitar seu conteúdo.
  • Por acessos orgânicos: você produz conteúdo útil e relevante, com técnicas de SEO, para ser bem classificado no Google, que direciona aos seus artigos o usuário que realiza buscas no site.

Observe e reflita: qual caminho você escolhe?

Bom, o acesso direto não é algo que se constrói da noite para o dia, certo?

E fica difícil estimar o investimento necessário para atrair visitantes via publicidade.

Parece claro que, se você tem um blog, apostar em artigos otimizados em SEO é a estratégia ideal. Já se você é redator freelancer, saiba que seu cliente também pensa assim.

Percebe agora como entender o que é SEO faz toda a diferença no seu texto?

O que você precisa saber sobre SEO

Há um mito de que o SEO é complicado. De fato, há muitos detalhes que cercam uma estratégia voltada à otimização de um site.

Se você pesquisar sobre o tema, vai se deparar com termos que talvez o assustem. Tem black hat, gray hat, link building, keyword stuffing e tantos outros que até são bem importantes, mas para um próximo passo.

A primeira etapa compreende dominar o SEO básico. Afinal, se o seu time precisa vencer por 3 a 0, não adianta projetar o terceiro gol antes de abrir o placar.

Mas e quanto ao texto, o que você precisa saber sobre SEO?

Tudo gira em torno de uma palavra-chave. Ela guia desde a sua pauta até a forma de estruturação do conteúdo do post.

Essa palavra-chave não é necessariamente uma palavra. Aliás, pode até ser uma frase inteira.

Ela obrigatoriamente precisa aparecer no título do artigo, no seu primeiro parágrafo, em subtítulos (conhecidos em SEO como cabeçalhos, ou H2, H3, H4…) e ao longo do texto, em construção exata e a partir de variações.

O objetivo é sinalizar aos robôs do Google – que varrem a web em busca de conteúdos novos – que o seu post trabalha aquela palavra-chave.

Ao identificá-la, o buscador indexa o seu artigo e o apresenta como sugestão aos usuários que pesquisam por aquele termo (exato ou aproximado).

Perceba, então, que SEO não é apenas palavra-chave, mas que não há nenhuma chance de sucesso se o seu conteúdo ignorar essa diretriz básica.

Como as palavras-chaves são escolhidas?

Como comentamos há pouco, a definição da pauta passa pela escolha da palavra-chave. Ela acaba sendo mais importante do que a atualidade daquilo sobre o que irá escrever.

Nada impede que você aborde um assunto do momento, mas isso provavelmente fará o seu conteúdo competir com portais de notícia, por exemplo. E adivinhe só quem tem muito mais chances de ganhar essa batalha?

É por isso que a escolha por assuntos atemporais (sem prazo de validade) para suas pautas é uma decisão mais adequada.

Quer exemplos? Como fazer arroz, destinos de viagem, melhores aplicativos para Android e dicas para abrir empresa são termos que têm milhares de buscas mensais.

As pessoas buscam por essas palavras-chaves o tempo todo no Google.

Sabendo disso, há duas regras básicas que você deve considerar na definição da pauta:

  1. De nada adianta selecionar uma palavra-chave que ninguém digita em sua busca no Google.
  2. Não basta acertar na palavra-chave; é preciso captar a essência do que os usuários desejam quando buscam por ela.

Você precisa saber disso!

Agora que tudo começa a ficar mais claro, talvez você esteja diante de uma dúvida importante:

Afinal, como descobriu o que as pessoas buscam?

Para quem pretende tocar um projeto próprio de conteúdo digital, é imprescindível conhecer ferramentas como o Keyword PlannerPlanejador de Palavras-Chave do Google e o SEM Rush.

Ambas permitem identificar quais são os termos mais buscados e também o número de pesquisas mensais para determinadas palavras-chave que você pretende trabalhar nos seus artigos.

Esse é um conhecimento em nível intermediário de SEO para redatores, mas que faz toda a diferença.

E se você é freelancer, vale experimentar ao menos para entender por que seus clientes solicitam determinadas pautas – e não cometer o erro amador de questioná-los por isso.

Descomplique: o SEO é seu amigo

Você já entendeu o conceito básico sobre o que é SEO, viu que precisa partir de uma palavra-chave, mas ainda deve estar curioso sobre as tais técnicas de otimização de conteúdo.

Elas são determinadas pelo que se chama de algoritmos do Google.

De tempos em tempos, o principal buscador da internet atualiza os critérios que utiliza para definir a classificação dos artigos que apresenta aos usuários.

O curioso é que ninguém sabe ao certo que algoritmos são esses porque o Google não os divulga integralmente.

É por isso que o SEO é uma ciência de tentativa e erro. Diferentes técnicas são aplicadas e, conforme alcançam ou não êxito, dão origem a consensos em torno das práticas a adotar no conteúdo.

Mas, como lembramos há pouco, o que é recomendado hoje pode não ser amanhã.

A própria repetição de palavras-chave está bem mais flexível do que no passado. Houve um tempo em que se achava que ela deveria ser repetida à exaustão. Ficava feio demais.

Talvez por isso, hoje a regra é usá-las organicamente, de forma a alcançar um casamento perfeito com o conteúdo do artigo, sem soar falso.

Esse vai e vem das técnicas explica a ideia equivocada de que é complicado fazer SEO.

Isso não é verdade! É muito mais simples do que parece.

O primeiro passo é entender que aquilo que o Google mais valoriza é a experiência do usuário. O texto precisa ser útil e atender às necessidades de quem faz a busca.

Veja o seu post como uma empresa: sem conhecer o que o cliente quer, fica difícil apresentar uma solução personalizada a ele.

Assim, a sua preocupação deve ser muito mais com o conteúdo que oferece. Se ele for mesmo relevante, bastará algumas pitadas de SEO para chegar ao topo.

E, nesse caso, o SEO é amigo do redator online, pois serve de guia para a produção textual.

O que não pode ficar de fora no post

Veja agora quais são os elementos básicos de SEO que você precisa agregar ao seu post para alcançar uma boa classificação no Google:

Título: deve ter a palavra-chave, de preferência no início dele

Primeiro parágrafo: para conquistar o leitor e com a palavra-chave; se na primeira frase, melhor

Cabeçalhos 2 (H2): subtítulos utilizados para divisão harmoniosa do texto, ao menos um deles trazendo a palavra-chave

Imagem: o artigo deve ter pelo menos uma foto ou ilustração, trazendo a palavra-chave na configuração do Alt Text, campo oculto que aparece quando da sua inserção

SEO Title: título que aparece na pesquisa no Google, deve ter a palavra-chave, de preferência no início dele

Meta Description: descrição do artigo que aparece abaixo do título na pesquisa no Google, precisa ser sucinta e trazer a palavra-chave

Nunca é demais lembrar que isso que você acabou de ver é o básico em uma estrutura SEO.

E não é nada difícil de aplicar, não é mesmo?

Para melhores resultados, vale dar uma caprichada no SEO, ou seja:

  • Fazer bom uso da palavra-chave ao longo do texto
  • Utilizar listas com bullet points (marcadores, como os desta lista)
  • Utilizar H3 (uma divisão do conteúdo dentro do cabeçalho 2, sempre que couber).

Siga por esse caminho e você terá os acessos que deseja no seu blog ou o reconhecimento que espera de seus clientes.

Curso: SEO para produtores de conteúdo

Meu nome é Rafael Geyger, sou produtor de conteúdo digital e, ao longo dos últimos anos, vi todo o tipo de equívoco relacionado ao SEO.

Já vi blogueiros com ótimo conteúdo, mas nenhum cuidado com sua otimização. Ignorado pelo Google, era como se aquele material não existisse.

Já vi redatores afirmando que dominavam o SEO, mas me perguntando o que é um H2.

Havia quem compreendesse a estratégia, mas ao não saber como colocá-la em prática, entregava um produto sem condições de competir no Google.

Já tive clientes que pediam técnicas ultrapassadas, como encher o texto de palavras-chave como se não houvesse amanhã, não importando se fazia ou não sentido ao leitor.

Outros cuidavam apenas do SEO nos artigos e a programação do blog era desconsiderada. O Google jamais achava aquele conteúdo tão rico e atrativo.

Enfim, muito desperdício de tempo, de energia e de dinheiro.

Chegou a hora de mudar essa realidade.

Para avançar mais no assunto, dê uma espiada no nosso cursoRedator Hacker.

Essa não é uma qualificação qualquer. Ela é moderna e traz dicas práticas para que você escreva cada vez melhor e domine o SEO.

Mas é mais do que isso: estou falando de um curso inédito no Brasil, que vai formar um seleto time de produtores de conteúdo para se diferenciar no mercado.

É uma oportunidade única de construir artigos perfeitos, garantindo que eles sejam encontrados pelo Google e reconhecidos por ele como os melhores.

1 Comentário

  1. […] Esse atalho se chama SEO, a otimização para mecanismos de busca. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *