Redator web: o que é e como ser um
Trabalho de copywriting
O que é copywriting de verdade e 13 erros que podem queimar o redator
28/11/2017
Trabalho de redator freelancer
Trabalho de redator freelancer: como encontrar as melhores oportunidades
03/03/2018

Redator web: o que faz, quanto ganha e como ter sucesso nessa carreira

Ser um redator web é a escolha ideal para quem deseja uma profissão moderna e que abra as portas à independência financeira.

Poucas carreiras estão tão conectadas com o futuro como essa.

Autonomia para gerenciar a rotina e remuneração que varia conforme a produtividade são algumas de suas principais características.

Isso quer dizer que dá para ganhar um bom dinheiro como produtor de conteúdo digital, mas não sem o menor esforço.

Pode ser desgastante tanto física quanto emocionalmente passar os dias escrevendo.

Mas nem é isso que afasta tantos do caminho do sucesso.

Como a diferença para o fracasso mora na habilidade de quem se candidata ao posto, muitos não reúnem o que é preciso para se dar bem na carreira.

Se você se pergunta como trilhar um caminho vitorioso como redator web, este artigo vai trazer a resposta.

Fique ligado. A cada nova linha, você pode descobrir um novo começo.

Redator web pode trabalhar em casa

O que é um redator web?

Redator web é um produtor de conteúdo digital. Profissional que ganha a vida escrevendo artigos para sites e blogs sobre assuntos variados. Pode tanto ser contratado por agências quanto atuar como freelancer, sem vínculo de emprego.

Embora a falta da carteira assinada seja vista como um risco para muitas pessoas, é nessa condição que o profissional pode obter melhores rendimentos.

Afinal, um caminho natural para o redator online é ter seu próprio negócio.

Como dá para perceber, sai de cena o empregado para dar lugar ao empreendedor.

Essa é uma realidade que por vezes assusta, dada as responsabilidades que impõe.

O redator web precisa administrar o tempo, ter disciplina quanto a horários, aprender a captar clientes, estabelecer contatos e parcerias, praticar o controle financeiro e perseguir a organização de forma permanente.

Ainda que decida não ter um CNPJ, na prática, ele é uma empresa.

A principal vantagem disso é a mesma que a sua desvantagem mais marcante: a renda variável.

Sem um salário fixo, o profissional precisa de jobs para ter alguma remuneração.

Problema ou solução?

Depende de cada um.

Quem reúne as características necessárias para se dar bem na carreira experimenta o melhor de ser tão bem pago quanto produz.

Seus ganhos são limitados pela própria capacidade de criar conteúdo.

Por outro lado, os maiores rendimentos não estão atrelados apenas à quantidade, mas também à qualidade da sua produção.

Escrever muito e escrever bem.

A meta é clara para quem tem a independência financeira como objetivo.

O que faz um redator web

Como já destacado, um redator web produz textos para a internet.

Mas isso soa um pouco abrangente, não é mesmo?

Podemos, então, dividir a sua atuação em duas frentes principais:

  • Copywriter: também chamado de redator publicitário, elabora cartas de vendas, utilizando seu texto para conduzir o leitor a uma ação comercial.
  • Ghostwriter: o “escritor fantasma” é aquele que produz artigos para blogs, principalmente, cedendo os direitos sobre os textos para outro autor.

Dá para destacar ainda a escrita para publicações em redes sociais, que também integram uma estratégia de marketing de conteúdo.

Contudo, considerando a imensa demanda do mercado, é mesmo na atividade de ghostwriter que o redator web encontra as melhores oportunidades.

Como você deve saber, há blogs sobre absolutamente tudo.

De gastronomia a empreendedorismo.

De finanças a viagens.

De moda a marketing digital.

Marcas e empresas perceberam que gerar tráfego orgânico a partir de técnicas de SEO para o Google é a estratégia mais barata e eficaz no longo prazo.

Segundo a pesquisa Content Trends 2017, da Rock Content, 71% delas já adotam o marketing de conteúdo e, entre as demais, 68,9% pretendem adotar.

O problema, como o próprio estudo descobriu, é que falta tempo e pessoas para produzir conteúdo original em forma de artigos.

Essa é a “queixa” de 38,9% daqueles que ainda não conseguiram elaborar a sua estratégia.

Na prática, todos eles precisam de redatores web.

E terceirizar é mais barato do que contratar.

Sente o cheiro da oportunidade?

Vantagens e desvantagens de ser um redator web

Agora que você já sabe o que é redator web e o que esse profissional faz, é hora de destacar os pontos positivos e negativos da atividade.

Vamos apresentar suas vantagens e desvantagens em tópicos.

Em seguida, falar sobre possíveis soluções para os problemas, de modo que a carreira se torne ainda mais atrativa aos seus olhos.

Vantagens

  • Ganha tanto quanto consegue produzir
  • Em geral, recebe mais do que receberia em um emprego fixo
  • Pode ganhar a vida trabalhando em casa pela internet
  • Faz os próprios horários, em meio turno ou período integral
  • Existe a possibilidade de conciliar com outras atividades
  • Tem liberdade para escolher os tipos de jobs que aceita
  • Pode trabalhar de qualquer lugar do mundo
  • Só depende de internet e de um dispositivo com editor de texto
  • Não é uma profissão entediante: todo dia é único
  • Cada job oferece nova oportunidade de aprendizado e evolução
  • Não exige formação específica
  • Pode abrir seu próprio negócio de produção de conteúdo
  • Mesmo em tempos de crise, não costuma faltar trabalho.

Desvantagens

  • Como freelancer, não tem um salário fixo
  • Como contratado, vira um empregado comum, com ganhos limitados
  • Se não produz, não tem rendimentos
  • Não há benefícios trabalhistas, como férias e 13º salário
  • Há dificuldade para a comprovação de renda
  • É preciso saber se vender e prospectar clientes
  • Pode ser preciso cobrar inadimplentes
  • Trabalhar em casa pode passar a impressão de não ser algo “sério”
  • Toda a responsabilidade recai unicamente sobre você.

Soluções

Não existe uma profissão perfeita, é claro.

Mas ser um redator web talvez seja o mais próximo disso.

Vamos analisar as desvantagens para ver como não é difícil contorná-las.

Para começar, ao ser freelancer, você não possui renda fixa e, se não tiver jobs, pode passar o mês em branco.

Seria terrível se fosse uma ameaça real. Não é.

Mesmo redatores de qualidade inferior, iniciantes e ainda não totalmente prontos encontram demandas, pois o mercado está cheio delas.

Pode ser preciso aceitar um projeto por valor inferior ou escrever sobre um assunto não tão agradável, mas muito raramente faltará trabalho.

Conforme seus rendimentos crescem, questões como a ausência de 13º salário se tornam menores e passam despercebidas.

Para se aposentar e ter acesso a benefícios previdenciários, basta abrir empresa.

Você pode começar como microempreendedor individual (MEI), que não vai lhe exigir nada muito além de R$ 50 por mês e ainda permite emitir nota fiscal.

Tendo seu próprio negócio, você pode usar o contador para apresentar declaração que comprove sua renda, se preciso for.

E para terminar, todos os demais problemas vão desaparecendo, basicamente, conforme se organiza.

Quem leva a sério a atividade de redator web assume uma postura empreendedora.

É necessário encarar o desafio de desenvolver novas habilidades, como a atração e o relacionamento com clientes.

Já o controle financeiro, que pode ser realizado a partir de planilhas de fluxo de caixa, permite que o profissional não se perca em meio aos ganhos e gastos.

Em linhas gerais, é só não ser amador ao ponto de misturar finanças pessoais com as do negócio que tudo caminha com tranquilidade.

A gestão da carreira não é um bicho de sete cabeças.

Esse não é (ou não deveria ser) um obstáculo para você ganhar dinheiro como redator.

Como ser redator web

Não é difícil aprender como ser um redator web.

Inclusive, você pode começar agora mesmo.

Há diversas plataformas que oferecem oportunidades e nada impede a sua candidatura ao job.

Mas o que fazem os profissionais de sucesso quando desejam investir numa carreira?

Não sabe a resposta?

Pense um pouco mais.

Sim, eles primeiro investem em si próprios.

Depois, buscam o aperfeiçoamento constante para se manterem no topo, entre os melhores.

Por fim, aí sim, se posicionam com a autoridade necessária para serem reconhecidos pelo mercado.

Temos, então, três passos imprescindíveis para ser um ótimo redator web.

E é sobre cada um deles que vamos falar agora, em detalhes.

Siga a ordem e não pule etapas.

Invista em você

Você precisa se preparar para trabalhar como redator.

Não basta achar que escreve bem e usar como argumento os elogios que ouvia sobre as suas redações no Ensino Médio.

Produzir conteúdo para blogs é totalmente diferente.

Exige entender o que é SEO, saber para quem está escrevendo (a persona), adotar o tom de voz adequado para cada projeto.

Requer colocar a palavra certa no lugar exato.

Há um desafio permanente para manter o leitor atraído pelo texto, conduzindo-o com leveza, relevância e interesse ao longo da leitura.

Então, muito antes de dominar conceitos como inbound marketing, call to action, leads ou storytelling, concentre-se no seu texto.

Você pode buscar certificações, como as oferecidas pela Rock Content e Hubspot, por exemplo.

São interessantes como ponto de partida, embora não o diferenciem no mercado, nem o preparem adequadamente para as necessidades dele.

Você precisa de um curso para redator mais completo, uma qualificação focada em redação SEO, que agregue em favor do seu texto.

E nesse sentido, não há nada no Brasil como o Redator Hacker.

Produza mais e mais

Seu texto não está pronto. Nunca estará.

Você precisa praticar e evoluir.

O redator web tem possibilidades de aprendizado constante.

Comece com um blog. Um blog seu. Sobre o assunto que mais gosta.

Escreva. Releia. Corte. E escreva de novo.

Faça isso em um texto.

Depois, parta para o próximo.

Não esqueça de colocar em prática a teoria que aprendeu no passo anterior.

Saiba onde vai a palavra-chave e suas variações.

Aprenda a construir títulos cativantes, introduções apaixonantes e dar ao leitor a certeza de ter encontrado a melhor resposta à sua busca.

Nessa fase inicial, não faz tanta diferença se o seu blog não tem audiência.

Ele é o seu primeiro portfólio.

É uma extensão do aprimoramento sobre o qual falamos anteriormente.

Seguir escrevendo é continuar investindo em você.

Busque trabalho

Conforme seu texto amadurece, conquistar jobs será uma consequência natural.

Há plataformas que contratam redatores para artigos específicos, como Contentools e Rock Content.

Tem ainda aquelas que divulgam vagas para redator, com projetos variados, como 99Freelas, Workana e Freelancer.

Não faltam espaços nos quais se candidatar.

E a falta de experiência não será problema, pois você tem um blog para mostrar.

O contratante sempre quer ver o seu estilo de escrita.

Fica impossível mostrar se você nunca produziu ou se escreveu como ghostwriter e prometeu confidencialidade ao cliente.

Mas, com o blog, tudo se resolve.

E o melhor: há a certeza de que o texto lá é integralmente seu, sem edições por terceiros.

Basta só saber vender o seu peixe, aprender quanto cobrar por texto e começar a conquistar clientes.

O sucesso acontece naturalmente a partir daí.

6 dicas de ouro para vencer como redator web

Se terminássemos o artigo aqui, você já teria boas informações para dar o pontapé inicial na sua carreira de redator web.

Mas vamos nos permitir ir além.

Com base nas experiências dos criadores do curso Redator Hacker, vamos revelar agora seis dicas de ouro para brilhar nessa atividade.

Preste bastante atenção e aproveite a oportunidade para não apenas evoluir, mas almejar ser o melhor no que faz.

1. Aprimore o seu texto

Como já comentado, sua primeira preocupação como redator não deve ser com conceitos de marketing.

Embora seja importante aplicá-los à sua narrativa e ao seu conteúdo, bem antes disso, você precisa criar textos que façam sentido.

Parece simples? Não é.

O mercado escancara uma dura realidade.

São pouquíssimos os redatores que conseguem captar a essência da palavra-chave e entregar ao leitor o que ele deseja, da forma como ele gostaria de receber.

Há erros básicos de português, frases mal construídas e generalizações.

Isso sem falar em equívocos de copywriting de forma geral.

A primeira dica, então, é identificar oportunidades de melhoria no seu próprio texto.

Como?

Peça e valorize feedbacks.

Será que o seu texto está bom de verdade?

Será que o leitor está entendendo exatamente o que você imagina que está escrevendo?

Será que o culpado pela sua falta de sorte na concorrência é o layout do portfólio ou o seu desapego com a língua portuguesa?

2. Domine o SEO

Já mencionamos a sigla SEO antes, mas não explicamos do que se trata.

Basicamente, é a otimização de páginas e conteúdos para os motores de busca (ou seja, Google).

Não é coisa de outro mundo, como muitos redatores acreditam, dominados pelo medo que essas três letrinhas geram.

Mas se você é ou quer ser um redator freelancer, precisa produzir conteúdo que chega ao topo do Google.

Só assim o post vai dar o resultado que o cliente espera.

Para isso, no entanto, não basta ter noções ou conhecimento em SEO.

Isso é o mesmo que nada.

Em resultados práticos, talvez ajude a posicionar um artigo na segunda página do buscador.

Ou seja, é realmente o mesmo que nada.

Você precisa verdadeiramente dominar o SEO.

Como?

Em primeiro lugar, lembre-se de partir da palavra-chave, que é o termo pelo qual o usuário manifesta a sua dúvida no Google.

Seu texto deve, então, ser construído em torno dela.

O problema é que incontáveis redatores pecam também nesse ponto, pois simplesmente não sabem o que fazer com a palavra-chave.

Ela acaba escapulindo, sendo ignorada ou talvez salpicada sobre o texto como orégano sobre a pizza.

Aí que mora o perigo.

Quando o cliente contrata um redator, ele passa uma pauta que é guiada justamente por essa palavra-chave.

Sem captar a sua essência e não sabendo trabalhar o termo no artigo, não há conteúdo que chegue ao topo.

Na prática, seu texto será um fracasso.

3. Não perca a qualidade em meio à quantidade

É padrão no trabalho do redator freelancer que ele receba pautas com uma determinada exigência em número de palavras.

Sua remuneração, inclusive, usa esse critério para ser definido.

Temos, então, uma quantidade mínima a atender.

O problema é ter nesse número um objetivo que acabe atrapalhando seu texto.

O foco precisa estar 100% na experiência do leitor.

Se o artigo não o manter integralmente conectado, ele fecha a aba e vai para a próxima.

O que isso significa?

Que não dá para ser genérico, usar frases longas ou construções desnecessárias.

Fuja do que popularmente chamamos de “encher linguiça”.

É preciso atender ao número de palavras, sim, mas ser sucinto e interessante.

Em vez de preencher os espaços com palavras irrelevantes, faça uma nova pesquisa sobre o assunto e busque um ponto de vista ainda inexplorado no seu texto.

Ou, se tiver liberdade, sugira um novo subtítulo, um novo fechamento, enfim, um viés que possibilite aumentar o tamanho do texto sem enrolar e sem fugir do objetivo principal do conteúdo, que está diretamente relacionado à palavra-chave.

No fim das contas, você vai perceber: quanto mais cortar, editar e reescrever o seu texto, melhor ele vai ficar.

4. Seja especialista, não generalista

Você pode escrever sobre tudo com relativa habilidade.

Não há mal nenhum nisso.

Entretanto, a prática mostra que é mais vantajoso para o redator freelancer se concentrar em algumas (poucas) áreas de conhecimento.

Inclusive, é uma das melhores estratégias para aumentar seu faturamento.

A verdade é que todo redator pode escrever conteúdo superficial sobre qualquer tema.

Mas ninguém consegue produzir textos relevantes, profundos e assertivos e no tom adequado sobre todos os assuntos.

Por isso, a recomendação é que descubra as áreas de conhecimento com as quais você tem maior afinidade.

Depois, selecione aquelas que oferecem mais trabalho.

Não significa recusar jobs sem uma análise do projeto, pois você pode acabar se encantando pelo assunto e conquistar domínio sobre ele.

5. Saiba se vender

Quando você sai de um emprego tradicional e precisa batalhar pelos próprios clientes, tem o desafio de ter que saber vender a si próprio.

Para jornalistas, isso costuma ser ainda mais difícil.

Antes, esse profissional estava acostumado a receber as pautas enquanto aguardava em sua mesa.

Agora, precisa correr atrás para que tenha pautas a produzir.

A verdade é que todo redator web deve se posicionar como provedor de soluções.

O cliente que o contrata não quer somente um artigo, mas um produtor de conteúdo capaz de replicar a qualidade daquele texto.

Então, é preciso caprichar na própria apresentação.

Mas a prática mostra que muita gente se perde nessa hora.

A falta de tato com o cliente é ainda um dos motivos do insucesso de muitos profissionais.

Para não cair nessa cilada, seja cortês, educado e transparente.

Mostre ser capaz de entregar o melhor conteúdo possível sempre que for acionado.

Se você fizer isso, terá clientes satisfeitos e jobs infinitos.

6. Saiba precificar seus textos

Quando você decide lançar sua candidatura a um job em uma plataforma freelancer, pode tomar um susto com os valores praticados pelos colegas.

Há quem cobre R$ 0,01 por palavra, enquanto outros pedem 20 vezes mais.

Quem está certo?

Provavelmente, nenhum deles.

Faltam critérios claros para a formação de preços por redatores.

A maioria segue a maré ou precifica com base em “achismos”.

E aí surgem essas discrepâncias todas.

Como o cliente não é bobo (mas muitas vezes ignora a máxima de que o barato sai caro), ele invariavelmente vai pelo menor preço.

Quando isso acontece, quem cobra mais caro esperneia, vai ao Facebook e reclama, como se questionar clientes resultasse em algum benefício.

O objetivo, então, é ter critérios claros de precificação.

O desafio, com isso, é encontrar o equilíbrio: um valor que não seja alto o suficiente para afugentar os clientes e nem baixo o bastante para acabar com seu lucro.

Coloque nessa conta o seu nível de experiência, a qualidade da sua produção (em uma análise sincera), a velocidade com que produz e, é claro, o que o mercado pratica.

Cobrar valores entre R$ 0,03 e R$ 0,05 não é ultrajante para ninguém que está dando os seus primeiros passos nesse mundo.

Gradativamente, você caminha para duplicar, triplicar e até quadruplicar o valor inicialmente cobrado por cada artigo.

É pouco, quero mais!

Lembre que estamos falando da realidade de quem está começando.

Se você já estiver em um nível mais avançado (domínio de gramática, SEO e conceitos de marketing aplicados ao conteúdo), pode elevar consideravelmente o preço por texto.

Mas se estiver no início dessa jornada, entenda que o seu texto não está pronto, e o editor terá trabalho para consertá-lo.

Sim, o termo é esse mesmo.

Muitas vezes, o editor precisa aparar arestas em quase todas as frases e em todos os parágrafos, perdendo um tempo enorme na tarefa.

Nesse caso, para o cliente, o custo por post escrito por esse redator é maior do que o custo de um post produzido por um redator que entrega maior qualidade.

Então, como a única maneira de aperfeiçoar seu texto é escrever muito, considere a possibilidade de aceitar jobs que não pagam tão bem.

Eles podem servir de tubo de ensaio para o seu projeto pessoal, que é se destacar como redator e ganhar independência e liberdade para trabalhar como quiser, de onde quiser.

Seja um redator web à frente dos demais

A jornada para o sucesso está apenas começando.

Neste artigo, você descobriu mais sobre a atividade de redator web, o que esse profissional faz e como se tornar um deles.

Também conferiu tudo o que precisa para não ser apenas mais um, mas um produtor de conteúdo digital diferenciado.

Agora, o desafio é seguir se aprimorando, investindo mais em você.

Veja este texto como o ponto de partida.

Como próxima etapa, sugerimos que baixe o nosso e-book especial e exclusivo Manual do Redator Freelancer.

Nele, além de dicas detalhadas para vencer nessa carreira, você vai descobrir quanto ganha um profissional de qualidade reconhecida no mercado.

E para evoluir ainda mais, clique neste link e conheça mais sobre o curso Redator Hacker.

Essa é uma capacitação única no Brasil, com um conteúdo integralmente proposto para produtores de conteúdo.

O foco está no texto, na sua qualificação, para que seja utilizado como argumento de venda.

Assim, cada novo artigo será como um passo certeiro rumo à sua independência financeira.

Se você acreditar, se dedicar e se posicionar à frente dos demais, quem pode dizer até onde irá?

Deixe sua opinião ou comentário abaixo e não esqueça de compartilhar este conteúdo em suas redes sociais.

2 Comentários

  1. Rodolfo disse:

    Gostei muito das dicas e do texto. Sou técnico em Mecatrônica, trabalho no metro de São Paulo mas sempre quis ser repórter, gosto de escrever de expor minhas idéias no “papel”. Estou começando como redator freelancer, e esse texto me ajudou muito. Parabéns.

    • Rafael Geyger disse:

      Que bom, Rodolfo! A formação não é impeditivo quando o redator escreve bem e entende de SEO.

      O mercado está carente de profissionais assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *