O que é h2 e h3: estrutura de SEO passo a passo | Redator Hacker - Agência de Conteúdo SEO
Participante de um dos melhores programas de afiliados
Textos para SEO: Como Escrever Para o Google 2019
24/01/2019
Lendo ebook
Ebook: o que é, como fazer e usar no marketing digital
07/02/2019

O que é h2 e h3: estrutura de SEO passo a passo

Você sabe o que é h2 e h3? E como usar esses elementos para criar uma estrutura de SEO infalível?

Eles são chamados de headers (cabeçalhos, subtítulos, entre outros termos), com a função clara de dividir e estruturar o texto para organizar melhor a leitura.

No mundo do SEO, você precisa se familiarizar com os headers, principalmente o h2 e o h3,  para criar um conteúdo digno das primeiras posições do Google.

Afinal, tanto os usuários quanto os robôs do buscador valorizam um texto bem estruturado, visualmente agradável e fácil de acompanhar.

Por isso, se você quer dominar os cabeçalhos do h1 ao h6, confira nosso guia prático:

  • O que é h2
  • Exemplos de h2
  • Importância do h2
  • O que é h3
  • Exemplos de h3 
  • Importância do h3
  • Além de h2 e h3, existem outros?
  • Curso de SEO para dominar h2 e h3.

Pronto(a) para escrever com foco em resultados? Então leia todas as dicas e aplique no seu conteúdo.

SEO e produção de conteúdo

Dominar h2 e h3 é essencial para criar conteúdo SEO

O que é h2

O h2 é o header 2, o mais importante nível hierárquico de subtítulos do texto.

Para entender melhor, é importante lembrar que o título do post é o h1. Ou seja, trata-se do mais importante elemento do texto, aquele que orienta o leitor e o Google a respeito do conteúdo.

Há apenas um h1 no post, mas é possível incluir diversos h2. E dentro de cada h2, pode haver muitos h3. Dentro de cada h3, pode haver muitos h4.

Ficou confuso?

Então pense em termos de taxonomia e hierarquia de informação. Para facilitar a leitura, o texto corrido, sem subtítulos, dá lugar a um conteúdo bem estruturado, que permite uma “navegação” orientada pelos tópicos mais interessantes para o usuário.

Para criar essa estrutura, é fácil.

A maioria dos editores de texto online possuem tags de cabeçalho automáticas, bastando selecionar o subtítulo correspondente e escolher a classificação h2.

Na linguagem HTML básica, criar um h2 também é muito simples: basta abrir o subtítulo com <h2> e fechar com <h2/>.

Exemplos de h2

É fácil identificar exemplos de h2 nos textos alinhados com as boas práticas de SEO.

Podemos começar por aqui mesmo: o próprio subtítulo “O que é h2” que você leu acima é um h2. E o “Exemplos de h2” é um h3.

Para deixar mais claro, vamos pegar outro texto do blog Redator Hacker, sobre o uso do Google Docs, como exemplo:

H1: Como usar o Google Docs, editor de texto online e grátis

Você sabe como usar o Google Docs para otimizar o seu trabalho freelancer?

Muitos ainda são os redatores que se sentem presos ao velho Microsoft Word e desconhecem os recursos que só o editor de texto online do Google tem.

Neste artigo, você vai descobrir como funciona e quais são as vantagens desse novo queridinho de quem escreve para a web.

Ao ler este conteúdo até o final, acreditamos que você vai finalmente abrir espaço para uma mudança e abraçar o Docs.

Por aqui, nós já o abraçamos faz tempo.

H2: O que é Google Docs?

O Google Docs é um editor de texto online e grátis, que pertence ao pacote de aplicativos do Google Drive.

Nesse programa, você pode produzir seus textos para blogs, por exemplo.

Ele tem jeitão de Word, conta com alguns recursos semelhantes ao Word, mas é melhor que o Word em vários sentidos.

A ferramenta surgiu inspirada por outro editor de texto, o Writely, adquirido pelo Google há mais de uma década.

Simples assim, utilizando a mesma estrutura de títulos e subtítulos que aprendemos desde as primeiras leituras.

Nesse caso, o primeiro h2 traz a palavra-chave (Google Docs), que também aparece na primeira frase logo após o subtítulo.

Essas são práticas essenciais de SEO que contribuem para o posicionamento do conteúdo no Google e aumentam suas chances de aparecer na primeira página de resultados.  

Importância do h2

O h2 é essencial para organizar seu conteúdo e facilitar a leitura dos usuários – e dos motores de busca.

Por se tratar do subtítulo principal, o h2 responde às dúvidas mais importantes do leitor, indicando um novo assunto a cada utilização da tag.

Para entender a função do h2, você pode utilizar o exemplo de um livro, onde o h1 corresponde ao título e cada h2 é um capítulo diferente.

Enquanto o h1 tem a função de resumir o assunto principal, o h2 traz os tópicos essenciais relacionados ao tema, buscando reproduzir a ordem de questionamento do usuário.

Não à toa, muitos h2 aparecem em forma de pergunta, com a resposta logo no início do parágrafo subsequente.

Vale lembrar que o próprio John Mueller, analista de tendências de webmaster do Google, afirmou em vídeo oficial do Google Webmasters que as heading tags ajudam o buscador a entender melhor o contexto e analisar cada parte do conteúdo.

Isso é especialmente importante para definir os chamados featured snippets do Google, que são aqueles pequenos trechos em destaque no topo do Google, como resposta imediata para a dúvida do usuário.

Quando você utiliza um h2 objetivo e oferece uma resposta direta no primeiro parágrafo, como no exemplo do Google Docs, suas chances de ocupar a posição mais disputada do Google se multiplicam.

O que é h3

O h3 é o header 3, o segundo subtítulo na hierarquia dos cabeçalhos, utilizado para esmiuçar ainda mais o assunto abordado.

Naturalmente, o h3 aparece dentro do h2, seguindo a ordem da arquitetura de conteúdo.

Não há uma regra ou limite para a quantidade de h3 em um texto, mas, como se trata de um subtítulo ainda mais específico, sua existência deve ser bem justificada.

Ou seja, não adianta criar vários h3 para dar a impressão de um conteúdo mais rico, se os subtítulos não forem de fato relevantes e complementarem a ideia do h2.

Exemplos de h3

Vamos aos exemplos de h3 para entender como utilizar a terceira heading tag do modo certo.

Para isso, considere apenas os cabeçalhos de post sobre SEO para blogs:

  • H1: Curso de SEO para blogs: vale a pena para o redator?
  • H2: O que é SEO para blogs
  • H2: Importância do SEO para blogs
  • H2: Curso de SEO para blogs: guia básico para redatores
  • H3: Como criar pautas para blogs
  • H3: Como estruturar um texto otimizado para SEO
  • H3: Como desenvolver a redação pensando em SEO
  • H3: Como produzir seu conteúdo na prática
  • H3: Como gerenciar seus projetos de conteúdo
  • H3: Por que fazer um curso de SEO online para redatores
  • H3: Por que fazer um curso presencial de SEO para blogs

Como você pode ver, o h3 foi utilizado para destrinchar o passo a passo do guia prático proposto, como desdobramento de um h2.

Além disso, o h3 também pode ser utilizado para estruturas de lista, como no post sobre blogs de startups:

  • H1: 12 Blogs de startups para entender o que vem por aí
  • H2: Blogs de startups: por que ficar de olho?
  • H2: 6 blogs de startups do Brasil
  • H3: 1. Blog da Conta Azul
  • H3: 2. Blog da Revelo
  • H3: 3. Blog do Nubank
  • H3: 4. Blog da 99 Corp
  • H3: 5. Blog da Hotmart
  • H3: 6. Blog da Redator Hacker
  • H2: 6 blogs de startups pelo mundo
  • H3: 1. Blog OnStartups
  • H3: 2. Blog da Lyft
  • H3: 3. Blog da Drive.ai
  • H3: 4. Blog da MoveWith
  • H3: 5. Blog da Arbit
  • H3: 6. Blog da Airbnb

O texto utilizou 12 h3 ao todo, numerando os blogs dentro de seus respectivos h2, organizando uma grande quantidade de conteúdo de forma amigável e atrativa.

Importância do h3

O h3 é um excelente recurso para aprofundar o tema sem cansar o usuário com blocos de texto monótonos.

Como aponta o estudo clássico do Nielsen Norman Group sobre leitura online, apenas 16% dos usuários leem palavra por palavra na internet.

Ou seja, a maioria das pessoas aplica uma leitura diagonal e busca conteúdo escaneável, para uma visualização mais confortável na tela.

Assim, o uso de h2 e h3 quebra o texto em pequenas seções e facilita a navegação pelo conteúdo, além de captar a atenção dos algoritmos do Google.

Além de h2 e h3, existe h4 e h5?

As heading tags vão do h1 ao h6, mas raramente é preciso ir além do h3 para construir um bom texto segundo as regras de SEO.

A partir da h4, o uso excessivo dos subtítulos pode dificultar a localização do usuário dentro do texto, embora não haja nenhum prejuízo para o ranking orgânico.

Se o tema for muito complexo e o conteúdo exigir vários tópicos, você pode usar quantos headers achar necessário para facilitar a compreensão e solucionar a dúvida do leitor.

O importante é justificar o uso de cada camada de subtítulos com um conteúdo claro, coerente e coeso.  

Curso de SEO para dominar h2 e h3

Você tem duas opções para dominar h2 e h3: praticar até acertar o formato ou fazer um curso de SEO online.

Se você quer resultados garantidos e não tem tempo a perder, o curso online SEO e Marketing de Conteúdo Redator Hacker é o atalho perfeito para escrever conteúdos de impacto.

O curso traz um guia completo para criar a estrutura ideal para seus textos, com o uso estratégico de h1, h2 e h3 para atrair mais tráfego e melhorar sua autoridade.

Por meio de videoaulas e conteúdos exclusivos, os especialistas Gustavo Heldt e Rafael Geyger desvendam os principais segredos do SEO e compartilham dicas valiosas.

Entre os destaques do curso, estão a estrutura mágica de post, manual de redação completo, cases de sucesso e ferramentas práticas.

Muito além do h2 e h3, o curso de SEO online é a solução para alcançar o topo do Google criando conteúdo de qualidade, desde a elaboração da pauta até a finalização.

Agência de conteúdo SEO

E se você quer acelerar e otimizar a produção de conteúdo da sua empresa sem se preocupar com h2 ou h3, vale a pena contratar uma agência de conteúdo especializada em SEO.

Esse é o caso da Redator Hacker, que leva o foco do marketing de conteúdo para o SEO.

Com um método exclusivo de produção de textos, a agência reforça a autoridade da marca, segmenta a audiência, traz os usuários certos, leva o conteúdo para o topo do Google e atrai uma audiência qualificada e sustentável no longo prazo.

Tudo isso sem a necessidade de patrocinar posts e sem a dependência perigosa de algoritmos do Facebook e do Instagram.

Gostou do nosso guia prático de estrutura de SEO? Entendeu melhor o que é h2 e h3 e como utilizá-los para o sucesso do seu post? Deixe um comentário e compartilhe este artigo.

2 Comentários

  1. nocyam disse:

    Parabéns pelo conteúdo abordou bem o assunto, o que mais é problematico no meu caso é que tenho site de download mas o foco e download mas não é simples concorrer por uma palavra pois download é grande a busca e já dominada pelo baixaki que é um fenômeno de site

    • Gustavo disse:

      Olá! Verdade, é um campo semântico muito concorrido. Vai precisar de muito conteúdo de qualidade 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *